quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Buenos Aires com crianças! #roteiro2016doblog

Oiê!


Hoje o post é com dicas do que fazer com crianças em Buenos Aires. Pesquisei bastante programação para a criançada e eles gostaram do que conheceram. Alguns lugares já falei no post anterior como: El Ateneo, Rosedal e o Jardin Japonés. 

Bosques de Palermo
Os pequenos aproveitaram o parquinho e todo o espaço do gramado pra correr, fazer estrelinha e brincarem bastante!!


Uma grata surpresa em Buenos Aires foi esse lugar. Minha filha queria voltar, mas não tínhamos mais tempo (uma pena!). Um museu de ciências 100% participativo. As crianças podem mexer em TUDO! kkkkkkkk.... Mexem, aprendem, se divertem...lugar lindo e que vale a pena conhecer!! 

O Museu, que fica dentro do Centro Cultural Recoleta, tem 2 andares e tem as seguintes áreas: Percepção Visual, Mecânica, Tecnologia, Arte, Luz, Eletricidade, Música, Forças da natureza e Matemática. Em cada setor desses há várias atividades para a criança explorar, conhecer e aprender.

No dia que fomos, haviam 2 escolas com grupos de alunos visitando o espaço, por isso a ausência de fotos mais completas do Museu. 
Circuitos e correntes elétricas. 

Circuitos e correntes elétricas. 

Circuitos e correntes elétricas. 

Circuitos e correntes elétricas. 

Mecânica

Mecânica. 
Arte



Arte

Forças da natureza

Ingresso: 100 pesos argentinos (aproximadamente 22 reais) por pessoa. Crianças só pagam acima de 4 anos.

Museo de los niños
Aqui os dois aproveitaram bastante! A mais velha então...rsrsrs...nem se fala! Achei parecido com o que visitamos em Tampa (EUA) o Glazer Children's Museum, porém com uma estrutura um pouco menos sofisticada. 

A entrada custa 130 pesos (crianças) e 40 pesos (adulto), no final de semana o valor aumenta 10 pesos para a criançada. Achei um pouco caro para o que oferece! 
Museo de los niños

A pequena adorou o sistema igual ao da Mc Donald's de verdade...rs

Até o caixa do Mc Donald's está vazio. kkkkkk

Sanduiche feito pela minha pequena
Endereço: Abasto Shopping

Obs: O shopping é antigo, a praça de alimentação cheia de pombos (odeio pombo!) mas o Museu é uma boa alternativa para os pequenos. 

Achei Buenos Aires uma cidade com poucas opções para crianças, mas gostamos do pouco que fizemos. 

Durante minhas pesquisas de programa pra criançada, descobri que a Casa da Barbie fechou (esperava levar minha princesinha lá!) e o outro ponto que entra no roteiro de muitas pessoas é o zoológico de Lujan onde você entra na jaula e tira foto com animais (oi?), eu não concordo com isso: dopar os bichos só para satisfazer um turista? Não, não mesmo. Acho isso um terror!

Para ler outros posts sobre a viagem, clique em Roteiro 2016.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Buenos Aires (parte II) #roteiro2016doblog

Oi!

Existem lugares bonitos e que me agradaram nessa viagem até a capital argentina, neste post (e no próximo) irei mostrar pra vocês quais foram.

A Galeria Pacífico é um shopping, o mais bonito que conhecemos em BA. Lá que conseguimos o melhor local para fazer câmbio (obrigada pela dica Silvana e Júlio!). Não achei os preços nada atrativos, convertendo para real os preços são parecidos com os do Brasil e algumas coisas até um pouco mais caras (talvez por ser uma cidade turística). Na Galeria Pacífico você encontra lojas como Adidas, Brooksfield, Levi's, Swarovski e quiosques Havanna, L´Occitane, Lâncome entre outras.


O local é lindo, sem sombra de dúvidas (mais fotos aqui) e tem uma praça de alimentação com opções como KFC, Green Eat (comida saudável), Starbucks, Burguer King, Subway entre outras.


A Galeria Pacífico pode ser acessada através de duas ruas: Calle Florida e Av. Córdoba. Nas duas você vai encontrar várias lojinhas e várias pessoas na rua te abordando para comprar pacotes de viagens, fazer câmbio e aqui fica o alerta (já falei disso no post de dicas de Buenos Aires, mas vou reforçar) 

Não façam câmbio na rua em BA, é arriscado! Muitas vezes trocam por notas falsas e aí lá vem dor de cabeça para sua viagem. E cuidado, é um dos lugares com maior movimento de turistas e por isso mesmo um local arriscado para andar desatento. De olho sempre em bolsas, mochilas, câmeras, celulares, dinheiro e seus pertences pessoais.

Endereço: Galeria Pacífico

Um dos lugares mais bonitos que conhecemos na capital argentina. O Jardin Japonés funciona de 10:00 às 18:00. A entrada custa 70 pesos argentinos (em torno de 16 reais). Crianças menores de 12 anos e idosos acima de 65 anos não pagam.

O lugar é lindíssimo, super bem cuidado e ótimo para dar uma descansada. Dentro de um restaurante, lojinhas com lembrancinhas e quiosques com venda de comes e bebes.




Endereço: Jardin Japonés

Paseo El Rosedal
Pensem em um lugar LINDO! Lindo, lindo, lindo e lindo! E o mais impressionante: público! 100% conservado, as flores bonitas, graminha cortada, tudo tão lindo que nem me lembrava a tumultuada e desorganizada Buenos Aires que eu havia conhecido até então... lugar próprio pra relaxar e passar algumas horas. 

Conhecer na primavera foi um grande privilégio...pegamos o Rosedal absurdamente florido e cheiroso! Lugar apaixonante! Fico imaginando a quantidade de casais que escolhem esse lugar para um ensaio de fotos pré casório ou um ensaio com crianças. Rendeu uma das sequências de fotos mais bonitas da viagem. Amei!









Endereço: Paseo El Rosedal

Livraria El Ateneo
Outro lugar apaixonante em Buenos Aires, a belíssima livraria El Ateneo Grand Splendid. O lugar era um antigo teatro e que em 2000 deu lugar a livraria e virou um ponto turístico que tem que entrar no roteiro de qualquer pessoa que visite Buenos Aires.  É considerada, pelo jornal The Guardian, a segunda livraria mais linda do mundo, a primeira é a holandesa Selexyz Dominicanen Boekhandel. 






Endereço: El Ateneo Grand Splendid

Vejam no mapa a localização dos pontos que conhecemos em BA.


(Desculpem a ausência de fotos, mas viagem com crianças nem sempre é possível fazer as fotos que desejamos, rs)

Para ler outros posts sobre a viagem, clique em Roteiro 2016.

sábado, 19 de novembro de 2016

Buenos Aires: dicas gerais! #roteiro2016doblog

Olá!


Resolvi fazer um post separado somente com dicas gerais sobre Buenos Aires, já que é um destino muito procurado por brasileiros.


Entrando na Argentina
Foi uma das imigrações mais tranquilas que já fizemos. Pegamos uma fila considerável no Aeroparque, mas que andava super rápido (vários guichês atendendo)

Na nossa vez, apresentamos a identidade e o comprovante de aluguel do apartamento (para quem fica em hotel, o voucher da reserva já serve). Perguntaram quantos dias ficaríamos, se era a primeira vez na Argentina. Tiramos uma foto, registramos o polegar direito no sistema e o funcionário da imigração nos entregou um papel que comprovava a nossa entrada no país e pediu para não perder o papel e guardar com carinho (rs). 

Atenção! NÃO PERCA ESSE PAPEL DE FORMA NENHUMA! Aviso assim mesmo, em caixa alta. Perder o papel significa que para sair do país terá que pagar uma multa de 500 pesos (não é tão alta, mas imagine a dor de cabeça!) e passar por um protocolo enorme. Cuidado com o papelzinho que parece um comprovante de compra, é bem fuleiro! rsrs 

Obs: Esse papel é entregue somente para quem entra com RG, quem vai com o passaporte recebe um carimbo que substitui o papelzinho preocupante.



Câmbio
O melhor lugar, sem sombra de dúvidas, é na Galeria Pacífico. Local seguro, que funciona até 20h. Só aceitam notas sem rasuras e, se for trocar dólar, somente aceitam notas de 50 e 100. Leve seu RG (ou passaporte) e o endereço do local que está hospedado. A casa de câmbio fica no subsolo, perto da escada rolante e na frente da loja Imaginarium.

A primeira troca que fizemos foi no Aeroporto, na área de desembarque. Pegamos uma taxa um pouco mais altar que a da Galeria Pacífico, mas como estávamos entrando no país sem nenhum peso, era a única alternativa. Não acho que compense trocar no Brasil, acaba saindo muito caro. 

Há um post no Aires Buenos falando sobre o que compensa mais, levar dólar ou real, vale a pena ler (aqui). Levamos dólar e no meio da viagem, trocamos real. A cotação estava da seguinte forma, em Novembro de 2016*: 100 dólares = 1.490 pesos/ 300 reais = 1.230 pesos 

*Cotação antes da eleição americana, o dólar subiu depois que o Donald Trumph foi eleito!



Transporte

  • Ônibus, metrô e afins:

O trânsito por lá é muito ruim, muito mesmo. Não recomendo o aluguel de carro, de jeito nenhum! Uma das formas mais práticas de andar em Buenos Aires é andando de ônibus ou metrô. Prático e barato. O SUBE (Sistema Único de Boleto Electrônico) é o sistema de transporte público de BA. O cartão (tem foto dele lá no instagram do blog, procure a #roteiro2016doblog) serve para metrô, ônibus, trem e para pagamento de pedágios. 

O nosso cartão ganhamos da Silvana e do Júlio (obrigada, de novo!) mas para quem vai e quer comprar um o custo de um cartão (que serve para família toda!) custa 25 pesos argentinos (em torno de 6 reais) e pode ser comprado em qualquer estação do metrô ou em "Centros de Obtencíon SUBE" (quiosques identificados com a marca podem vender o cartão).  O blog Aires Buenos tem um post ótimo sobre o transporte em BA (aqui).

Para recarregar: Procure um kiosco identificado com a logo do sistema ou recarregue em estações de metrô. 

Obs: Fique atento para o seu saldo, não é possível recarregar dentro do ônibus então não vá passar vergonha de entrar no bonde sem o saldo suficiente (rs). Não sei exatamente a partir de que idade as crianças pagam, já que algumas vezes cobravam dos 2 e outras vezes deixavam o mais novo (de 3 anos) passar sem pagar. 


  • Táxi:
Bom, nossa primeira experiência foi terrível! Pegamos um táxi no Aeroporto Jorge Newbery (Aeroparque). A corrida até o apartamento custou quase 600 pesos argentinos (em torno de 130 reais)! Uma corrida que, descobri depois, custaria no máximo 120 pesos. Achei de um abuso isso que me revoltou profundamente, mas enfim, sei que existem pessoas desonestas em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui no nosso país lindo, mas já chegar na cidade com uma recepção dessas foi bem ruim. 

Pegamos um ou outro taxista espertinho, mas de uma forma geral eles iam direto para o endereço (depois de tanto andar pela cidade acabamos percebendo quando éramos enrolados ao voltar pro apartamento). 

Tirando isso, não achei o táxi algo caro em Buenos Aires, se estiver cansado de zanzar pela cidade ou quiser algo mais confortável pode apostar nos táxis que não vai sair muito caro.

O Ricardo, do Viaje na Viagem, tem um post muito bom dando dicas sobre como escapar dos espertinhos e sobre os golpes de troca de cédula. Conosco não aconteceu isso, mas existem relatos no blog de pessoas que foram vítimas desses golpes. Cliquem aqui pra ler.


Padrão da tomada
Fonte: Site Viaje na Viagem, clique na imagem acima pra ler o post completo.
O padrão argentino é esse aí da foto. A dica é comprar um adaptador unviersal, mas atenção, nem todo adaptador universal entra nesse padrão argentino, rsrsrs. Sim...é verdade isso! 

Procure uma "Herreria" e compre um adaptador (mesmo nome em espanhol). Compramos para o duplo plugue redondo do Brasil (que servia para carregar celular e a bateria da máquina, por exemplo), mas para o plugue de 3 pinos (típico dos carregadores de notebook, por exemplo) só fomos conseguir comprar em Colonia, no Uruguai. 

Idioma
Eu falo espanhol, mas o marido relata que dá pra se virar bem com o português. Eles entendem o 'portunhol' e se falar devagar até nosso português é compreendido. Na dúvida, vá de mímica mesmo que é universal. rsrsrs... 

Palavras básicas como Gracias (Obrigado), Buenos Días, Buenas Noches, Buenas Tardes e Permiso (Licença) são básicas e ajudam qualquer pessoa a se comunicar bem! 

Chip de telefone e internet
Compramos três chips (um para mim, um para o marido e um para meus pais) da Personal. Passamos 4 dias na cidade. O prazo para ativação do chip era de até 24 horas, e compramos no segundo dia em BA. 

O meu chip funcionou no final do prazo estipulado pela operadora. O chip dos meus pais só funcionou depois que foram na Personal. O do marido nem isso. Ele não recebeu sms de ativação, nada, sempre dava problema. Fui na operadora e falaram que tinha que esperar o prazo e mandar um sms para um número específico. Fizemos isso diversas vezes e nada...desistimos! Foram 175 pesos argentinos jogados no lixo (75 do chip e 100 da primeira recarga). 

Por funcionar, entendam que eles recebiam e efetuavam ligações, pq internet nunca tivemos, somente no wifi alheio. Não compraria de novo chip da Personal, aliás, acho que de nenhuma operadora local, já que no Uruguai tivemos o mesmo problema, mas isso é assunto para outro post. 

Dicas de segurança
Achei a cidade perigosa! Não me senti segura andando nem na Calle Florida (que é a principal rua dos turistas por lá), nem em ruas menos turísticas, mas bem movimentadas como a Santa Fe, por exemplo.

Ande sempre atento a seus pertences (bolsas, celular, mochila) e eu não recomendo que troque dinheiro na rua, o câmbio é melhor, mas o risco é grande! Risco de trocarem por notas falsas e gerar uma super dor de cabeça durante sua viagem. Procure locais seguros, como a Galeria Pacífico que citei no início do post.

Embaixada (ou Consulado) Brasileiro
Uma coisa que poucos viajantes se preocupam, e isso não são dados meus, são dados de pesquisas do MRE é em saber onde é a embaixada (ou o consulado) brasileiro no país que está visitando. Em um sufoco maior, é o local que deve ser procurado. Todas tem um telefone de urgência disponível para brasileiros em apuros. 
Consulado do Brasil em Buenos Aires 
Endereço: Carlos Pellegrini 1363 piso 5 
Telefone: 4515 6500/ 4199 9668 (telefone em caso de urgência)

 


Da Argentina para o Uruguai

Saímos da Argentina via Colonia Express, já que fomos para o Uruguai. O processo foi bem tranquilo. Fazemos a saída da Argentina e entrada no Uruguai no mesmo lugar, só que em guichês diferentes. 


Bastou entregar a passagem, os documentos, o papelzinho que recebemos na entrada do país e pronto, carimbaram nosso voucher do Colonia Express  e nos encaminharam para dar a entrada no Uruguai. Mesmo procedimento, apresentar RG, cadastrar o polegar direito e a foto. Sem papelzinho, sem nada, demos entrada, oficialmente no país vizinho. 


Para ler outros posts sobre a viagem, clique em Roteiro 2016.

Buenos Aires: onde ficar? #roteiro2016doblog

Olá!

Pesquisei muito, mas muito mesmo, sobre hospedagem em Buenos Aires. A ideia original era ficarmos todos juntos em um apartamento, porém meus pais resolveram ficar em um hotel e nós ficamos no apartamento, sendo assim, tenho dicas para dar tanto de um quanto do outro. Bora lá? 

Apartamento por temporada

Durante minhas pesquisas não encontrava um hotel que comportasse 4 adultos e 2 crianças, foi quando lembrei do Airbnb que oferece apartamentos/casas para aluguel por temporada. Foi assim que descobrimos o apartamento do Joaquin (aqui). 

A localização dele é ótima, fica a 4 quarteirões da Av. Santa Fe (uma das principais de BA) onde tem supermercado, estação de metrô e paradas de ônibus. O apartamento em si é bom, são dois quartos (um com cama de casal e outro com 2 camas de solteiro), na sala ainda tem um sofá com bicama. 

Achei o apartamento um pouco velho e precisando de reforma e confesso que achei um pouco sujo também. A calefação foi um problema no primeiro dia (não conseguimos ligar e também não conseguia contato com o Joaquín, responsável pela locação - aliás a comunicação com ele o tempo inteiro foi bastante complicada!), tivemos que esquentar água para tomar banho.

No segundo dia, já com o chip do telefone funcionando consegui falar com o Joaquín e aí sim, ele me orientou como ligar a calefação e passou a senha do wifi. Informações que, a meu ver, já deveriam estar no apartamento. Nem todos compram chip de telefone e sem esse recurso não teriam nenhuma forma de contato com o responsável pela locação. Achei bem ruim esse aspecto!

O apartamento em si merece uma nota 6 (não acho que receba com conforto 4 adultos). A localização 9. 

Seguem fotos retiradas do anúncio do Airbnb (acabei não tirando fotos, nem fazendo vídeos)







A cozinha e o banheiro que acho que merecem uma reforma.

Entrada do prédio.

Hospedagem em hotel

Meus pais acabram optando por ficar em um hotel, deixando o apartamento somente pra nós. Eles ficaram hospedados no Apart San Diego e gostaram bastante. Ele também fica super bem localizado (a 4 minutinhos da livraria El Ateneo Grand Splendid - lugar que super indico conhecer, é lindo!) e os quartos contam com uma cozinha compacta. O hotel oferece transfer para o aeroporto e café da manhã. 

Para ler outros posts sobre a viagem, clique em Roteiro 2016.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Férias - 2016 (roteiro completo)

Para ler sobre outras viagens que já fizemos clique na imagem acima

Olá!


Aqui segue um índice geral dos posts do roteiro de 2016: Argentina e Uruguai assim fica mais organizando e quem quiser acessar somente um determinado tema já vai direto pra ele, bem prático não?

       * Roteiro 2016 *


Argentina
Buenos Aires: o que conhecemos. (em breve)
Buenos Aires: o que conhecemos (parte II) (em breve)

Uruguai
Um dia em Colonia del Sacramento (em breve)
Montevideú: onde ficar? (em breve)
Montevideú: o que conhecemos. (em breve)
2 dias em Punta del Este (em breve)
Uruguai: dicas gerais. (em breve)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Definindo o roteiro das férias.... #roteiro2016doblog


Hola!

Ao pensar nas férias de 2016, ficamos na dúvida entre repetir uma parte do roteiro de 2013 (Penha - Beto Carrero e Curitiba) ou conhecer um novo local, preferencialmente fora do país. Fiz três opções de roteiro, uma delas somente nacional, uma misturando um trecho nacional e outro internacional e uma somente internacional. No meio de toda essa pesquisa surgiu um destino 'surpresa': Cancun.

Por que Cancun? Eu conheci o belíssimo mar do Caribe meados de 1990, ano passado fomos pra Bahamas e aí, caribe novamente, e com isso fiquei com vontade de voltar - já que meus filhos amam praia (mas não é minha maior paixão!). E aí achei um preço, tipo, uau...MARAVILHOSO!!!

Fiquei doida, claro! Mas acabamos desistindo....rsrsrsrs. A passagem teria que ser paga à vista (pelo site da American Airlines) ia pesar muito no orçamento - fora os gastos com renovação de passaporte e os gastos em dólar que faríamos em Cancun e Riviera Maya. 

Foi um alegria que durou o tempo de fazer as contas. A passagem estava com um preço ótimo, o hotel em Playa del Carmen também com preço acessível, o carro idem...mas o que iria pesar era pagar a tal passagem de uma vez só. É, Cancun ficou para outra vez, vai que acho outra super promoção como essa e o dólar está bem baixinho não? #tenhamosesperanca

Voltando para o roteiro 2016, continuei minhas pesquisas baseada no que, enfim, decidimos: fazer outra viagem internacional. Como Estados Unidos e Europa estavam fora da rota - fomos para a primeira ideia que foi viajar pela América do Sul.

Conforme fui pesquisando, fui me apaixonando pelos locais que poderiam ser nossos destino, até que em uma visita ao site da companhia aérea achei um preço ótimo e batemos o martelo: Argentina e Uruguai. Ah, mas isso é assunto para os próximos posts....rsrsrs.

domingo, 9 de outubro de 2016

BC - Como conciliar ano letivo com as viagens?


Olá!!


Adoro uma blogagem coletiva (quando vários blogueiras falam sobre o mesmo tema) e se for pra falar sobre viagem então, aí que melhora tudo!! O tema é algo bem polêmico: tenho filhos em idade escolar e aí, viajar ou não viajar com eles em período letivo eis a questão.

Ô tema tenso esse! Aqui só viajamos em período letivo, e minha filha mais velha tem 9 anos (e está no 5 ano). Mas como assim? 

Meu marido raramente consegue tirar férias em Julho/Dezembro e Janeiro, com isso temos mesmo que fazer malabarismo e como eu sou autônoma posso tirar férias em qualquer mês, basta me programar pra isso. Sendo assim, há alguns anos começamos a viajar no período letivo mesmo.

Nosso mês favorito é Novembro, tirar férias no primeiro semestre dá uma sensação que não tiramos férias (sei que não tem sentido, mas tem,kkkk....). Vou contar como eu faço por aqui!


1. Avaliar o calendário escolar.
Bom, eu faço assim pego o calendário escolar (que eles disponibilizam logo nos primeiros dias de aula) e me programo no que eu chamo de 'entresafra' que seria o período entre uma avaliação e a outra (na escola da minha filha existem dois momentos de avaliação para cada bimestre). Os melhores meses para viagens mais longas por aqui são Outubro e Novembro. Em Outubro, por conta do feriado e dos recessos (que tem aqui em Belém, por causa do Círio de Nazaré) fica um mês com poucos dias letivos. E Novembro, já que podemos viajar logo no início do mês - as provas finais normalmente são depois do dia 15. 

2. Combinar com a criança
Aqui temos um combinado. Faltar aula somente em duas ocasiões: se estiver doente ou  se for pra viajar. Tirando isso, nada de preguiça, vai pra aula mesmo! kkkk .... e minha filha ama estudar, ama ir pra escola. 

3. Ter notas boas
Sim, isso é fundamental! Imagina viajar, faltar 15, 20 dias e na volta ficar doida tendo que recuperar uma nota baixa? Não, nem pensar! O combinado é que ela estude, se dedique (não só por causa da viagem, pra vida! rs)  e que tenha notas boas. Normalmente na terceira avaliação ela já fechou o ano e fica precisando de pouco para passar direto.

4. Parceria com o colégio
Sempre explico na escola que só podemos viajar no período X e com isso ela terá que se ausentar e tralalá. Tanto na escola que estudavam ano passado, quanto na nova deste ano foi super tranquilo! 

5. Confiança na criança
Confio na minha filha. Sei que ela dá conta do recado. Explico. Ano passado, no 4 ano do Ensino Fundamental, ela passou 22 dias sem pegar em um lápis, um livro, nada...rs... e quando voltamos ela tinha apenas 4 dias pra estudar o conteúdo atrasado e fazer as provas finais.  

Chegamos em uma quarta-feira, de tarde. Ela estudou quinta, sexta, sábado e domingo. Na semana seguinte fez todas as provas normal, com a turminha dela. O resultado foi surpreendente! As melhores notas do ano inteiro e até a professora dela comentou: "A sua filha voltou ainda mais motivada da viagem!". 

Ah, e o dever de casa atrasado? A escola me tranquilizou que não precisaria fazer (já que teriam as provas pra avaliar mesmo) e ela foi fazendo depois que entrou de férias oficialmente (rsrsrs).

Agora assim meu povo, isso exige um pouco de coragem muito malabarismo (eu pego os meses do segundo semestre, vejo o mês que tem menos dias letivos, os feriados, os períodos de prova) e estudo tudo! 

Este ano as crianças (o mais novo está no Maternal, por isso não citei ele no post) vão se ausentar 15 dias e segundo o cronograma da escola não iria cair em período de provas, eu estava feliz da vida....até que o colégio alterou e ela iria perder todas a provas e teria que fazer tudo de segunda chamada! Fui na escola conversar. Expliquei tudo e pronto, vão fazer um calendário de provas diferenciado pra ela. Muito amor! 


Resumo da ópera: Enquanto minha filha der conta do recado, continuaremos viajando fora do período de férias escolares. Se um dia apertar, mudamos os planos, encurtamos as viagens...enfim.

Vestibular X Viagem: E agora José, eu viajo ou não?
Ano passado, o filho de uma grande amiga minha, já estudando pro vestibular, passou 15 dias viajando com a família - no mês de maio. Voltou, recuperou o que perdeu e no final do ano passou no vestibular. Isso me mostra que é possível sim, vai depender do empenho e dedicação do aluno! 

Outras blogueiras viajantes escreveram sobre o assunto, leiam aqui ó:

1. Viagem que sonhamos - Francine Agnoleto
2. Viajar hei - Patrícia Tayão
3. Vamos Por Aí - Carol Miranda
4. Diário de Viagem - Adriana Pasello
5. Viajo com filhos - Patrícia Papp
6. Felipe, o pequeno viajante - Cláudia Rodrigues
7. Cantinho de Ná - Cynara Vianna
8. Família Viagem - Mônica Souza
9. Viajando em Família - Débora Galízia
10. Do RS para o Mundo - Andrea Barros
11. Passeiorama - Guaci Rhein
12. De Primeira Viagem - Aline de Aguiar
13. TripBaby - Tati Milani
14. Dicas da Rege - Regeane Nicaretta
15. Trilhas e Cantos - Liliane Inglês
16. Andreza Dica e Indica - Andreza Trivillin
17. O Rei do Hotel - Luciana Leal
18. Ases a Bordo - Ana Luiza Ogg Strauss
19. No Mundo com a Gente - Solange Spiess
20. Ferinhas Viajantes - Ana Paula Lima

21. Vem pro parque - Daniela Xavier
22. Malas e Panelas - Andrea e Luciano
23. Para a Disney e além - Isabel e Carlos
24. Descansa na volta - Angelica Figueiredo
25. Roteiro Renatours - Renata Ungier
26. Gosto e pronto - Débora 
27. Mel a mil pelo mundo - Juli
28. Vem que te conto - Aline Pinheiro

Acompanhe nas redes sociais com a hastag #ViagensEEscola as publicações sobre o assunto.

Beijos e até o próximo post!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...