terça-feira, 22 de março de 2016

Viagem internacional: cuidados básicos.


Olá!


Em outro post falei sobre como organizo minhas viagens em família e prometi um post falando especificamente de destinos internacionais, dos cuidados que tal organização exige. Vamos lá?

As preocupações de uma viagem, seja ela nacional ou internacional, são semelhantes como a definição de destino, tempo de viagem, época do ano e a pesquisa, compra das passagens etc Contudo, existem detalhes que precisam ser verificados quando você pretende sair do país.

1. Passaporte ou RG?

Para viajar dentro do Mercosul não é necessário o passaporte, basta viajar com seu RG (inclusive para crianças), mas vale frisar que a identidade deve estar com a foto visível e a data de emissão não pode ultrapassar 10 anos

Caso não tenha passaporte, clique aqui para ler as informações necessárias para emitir o seu. Atualmente o valor para a emissão é de R$ 257,25. 

2. Precisa de visto?

Para as viagens dentro do Mercosul, não existe necessidade de visto (lembre-se que pode viajar somente portando o RG), porém existem países que exigem o visto e são criteriosos para que ele seja emitido, como é o caso dos Estados Unidos. Falei sobre a emissão do visto americano em um post antigo (cliquem aqui para ler). 

Se o seu destino é a Europa, é um pouco mais tranquilo o processo, pois a maioria dos países fazem parte do Espaço Schengen que é um tratado de livre circulação de pessoas, permitindo que você possa transitar entre os países que fazem parte dele sem necessidade de visto, somente do passaporte válido. Vejam a tabela abaixo, feita pela Folha de S.Paulo (valores de 2013).


O Canadá está em processo de "liberação de visto" para brasileiros com visto americano válido, porém ainda não está em vigor essa liberação (o blog 'Fazendo as malas' fez um post sobre isso, clique aqui para ler).

3. Seguro saúde

Por mais que alguns sites afirmem que não é algo primordial em viagens internacionais, acho mais coerente e seguro fazer. Principalmente se viajar com crianças. Caso alguém passe mal durante a viagem, o seguro viagem poderá ser acionado e os custos com atendimento, hospital etc será por conta do seguro. 

É uma garantia maior para a família e para a imigração que saberá que você não vai "dar problema se adoecer" dentro do país deles. Os valores gastos com hospital, nos Estados Unidos, por exemplo, são altíssimos - não compensa arriscar pagar esse valor lá, podendo já ir com seu seguro viagem que cobre essas despesas médicas. Pense nisso!

Existem várias empresas/agências com a qual pode fechar, procure a que sentir mais confiança e inclua este gasto no seu orçamento. Alguns cartões de crédito já oferecem esse serviço, verifique com a operadora do seu.

4. Precisa tomar vacina?

A vacina contra a febre amarela é a mais exigida em viagens para fora do Brasil, porém somente em alguns destinos. Para conhecer que países exigem essa vacina e o procedimento necessário para a expedição do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), clique aqui.

5. Câmbio para a moeda local.

Bom, aqui vem a parte financeira da viagem. Sempre, sempre mesmo, tenha dinheiro em espécie. 

Acho prudente também um cartão internacional (liberado para uso no país de destino), para eventualidades e para caução em aluguel de carros, por exemplo. Mas....por favor, lembre-se do IOF (aquela taxa "linda" de 6,38%) e que sua compra estará sujeita a variação cambial viu? 

O Ricardo, do site Viaje na Viagem, fez um super post sobre o assunto, confira clicando no link a seguir: Dinheiro para viagem: que moeda levar? Quando usar cartões?

6. Idioma.

Se o seu destino é conhecer o Mickey lá em Orlando, nos Estados Unidos, vá tranquilo! A Florida é o estado com mais brasileiros na terrinha do Tio Sam. Miami e Orlando você vai ouvir bastante português e espanhol, e nos pontos turísticos (como os parques) sempre tem alguém para ajudar ou um funcionário que fale português. A dica vale para qualquer idioma: aprenda algumas palavras básicas no idioma: Obrigada, Quanto custa?, Onde fica? etc.

Ah, mas você quer ir pra Europa e só fala português, ai o que eu recomendo, capriche na linguagem internacional: a mímica. Dá pra se virar bem, sabendo o básico de inglês (ou de espanhol) em cidades turísticas como Paris e Roma, por exemplo. 

Destinos como a América do Sul, onde o espanhol é a língua mãe, vá tranquilo também, basta pedir para "Hablar más despacio" (Falar mais devagar) que será possível a compreensão. Espanhol e português são idiomas semelhantes, mas existem algumas pegadinhas e é legal saber quais são para não cair nelas - porém, se o destino for cidades bem turísticas como Buenos Aires (por exemplo), vá despreocupado muitos compreendem português por lá! ;)

Existem aqueles livrinhos com as palavras básicas em alguns idiomas, eles podem te ajudar a ficar mais seguro. 


7. Embarque Internacional.

Diferente do embarque nacional, quando o destino de sua viagem é fora do país é necessário estar no Aeroporto 3 (três) horas antes do embarque. Programe-se para isso! 

Lembre-se de estar com tudo impresso e separado, pois pode ser solicitação na imigração: voucher do hotel que vai ficar, passagem (ida e volta), seguro viagem etc.

- Voos com conexão antes do destino final

Quando for procurar sua passagem e só encontrar voos com conexão (exemplo: o destino final é Porto e o voo faz uma conexão em Lisboa), de preferência para conexões mais longas, com no mínimo 2 horas, para que dê tempo de passar na imigração e não te que fazer nada correndo.



8. Remédios.

Quem viaja com crianças este é um tópico importante. Leve, na mala despachada, remédios básicos (para dor de barriga, febre, dor etc - consulte o pediatra de seu filho que ele poderá lhe orientar corretamente) e na mala de mão leve somente o básico (um remédio para dor, por exemplo) - porém fique atento, o conteúdo do remédio (ou de qualquer outro líquido) para embarque não pode ultrapassar os 100ml, caso contrário não poderá levar e terá que deixar (já vi cada absurdo tentando ser levado...rs).


9. Segurança

Tome cuidado, o mesmo que tomaria aqui no Brasil. Lembre-se que você é turista, está em um país que não conhece, em cidades que não sabe exatamente como funcionam (que rua pode entrar, até que horas é tranquilo ficar na rua), enfim. 

Leve sempre com você o telefone (e endereço) da Embaixada (ou Consulado) Brasileiro (clique aqui para saber os endereços) e leve também uma cópia de seu passaporte (e demais documentos importantes, como o seguro viagem).

De resto, boa viagem!


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...